Alfabetização precoce, por que esse não é um bom caminho?

Você já deve ter ouvido falar em alfabetizar crianças pequenas e até bebês. Mas será que isso é positivo para nossas crianças? O que elas perdem com a alfabetização precoce? No texto todas essas respostas. Confira:

Alfabetização precoce, por que esse não é um bom caminho?
Criar e Educar
10 de fevereiro de 2016

Muitos pais questionam o psicopedagogo quanto ao momento certo de alfabetizar seu filho. Em sua maioria, acreditam que quanto antes melhor, promovendo assim a alfabetização precoce. Mas hoje vamos mostrar o porquê seu filho antes que a escola o faça (com 6/7 anos).

alfabetização precoce

Existem livros e métodos para alfabetizar bebês, porém esse não é um caminho saudável para a criança.

Em um primeiro momento convidamos os pais a refletirem as inúmeras formas de leitura que existem: leitura corporal, leitura de imagens, expressões, cores, formas e até texturas e temperaturas. Quando uma criança usa dessas leituras para entender o que necessita, ela também está se desenvolvendo em relação a essas experiências. Como é dado menos importância a essas leituras do que  a codificação das letras, a criança acaba pulando etapas em seu desenvolvimento cognitivo, sensório motor e psicológico.  Essa lacuna acaba sendo imensurável para a formação desse ser humano.

Em relação a parte psicológica da alfabetização precoce, salientamos que o tempo que muitos julgam que a criança “perde” por não ser alfabetizada, na verdade ela acaba sendo um tempo ganho por acumular mecanismos para enfrentar as adversidades da vida.

Alfabetizar precocemente significa lançar a criança para um mundo para o qual ela ainda não está preparada.

Por fim, ressaltamos a importância do desenho – que também acaba sendo negligenciado quando ocorre a alfabetização precoce. O desenho da criança é a sua forma de comunicação natural que revela seu universo com o código que lhe é próprio. Quando a sua criança lhe mostra um desenho que tenha feito, ela está lhe contando como vê o mundo, como se sente, se está alegre ou triste. Não é só a escrita que é capaz disso.

Acreditamos que tais reflexões devem ser levadas em consideração pelos pais antes da importante decisão de alfabetizar antes da idade que lhe é própria!

Até a próxima pessoal!

Tem dúvidas sobre questões da vida escolar do seu filho pequeno? Envie para nós que teremos prazer em responder. Escreva para contato@maezissima.com.br

Michelle Klaumann e Danielle Gross de Freitas – psicopedagogas do Espaço Mediaçãocontato@espacomediacao.com.br

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *