Apostilas na Educação Infantil. Entenda porque é prejudicial às crianças

Um texto franco e embasado sobre o uso de apostilas na Educação Infantil das Crianças e como isso pode ser um problema para o desenvolvimento integral de seus filhos.

Apostilas na Educação Infantil. Entenda porque é prejudicial às crianças
Criar e Educar,  Especial
2 de maio de 2016

Quando as mães decidem colocar seus filhos na escola, geralmente pensam nas brincadeiras, experiências sensoriais, contato com a natureza e com os amiguinhos. Sem dúvida, todos os pais buscam uma instituição educativa onde seus pequenos serão respeitados como ser humano em desenvolvimento e, principalmente, como criança. Mas, ao iniciar a saga de visitas pelas escolinhas, verificamos um fenômeno que se repete: o uso de apostilas (com o método X, Y e Z) para crianças do Ensino Infantil. Nessa hora muitos pais ficam em dúvida se isso pode ou não ser prejudicial à criança.

Segundo Jean Piaget, as crianças passavam por fases de desenvolvimento as quais devemos respeitar tendo sempre em vista que cada ser humano é único. Nesse sentido, a criança de 0 a 2 anos encontra-se em um momento de vida em que deve ter experiências sensório-motoras. Após essa idade, mais ou menos dos 2 aos 7 anos, suas experiências passarão a ser pré-operatórias. Isso, nada mais nada menos, significa que a infância deve ser de contato com o mundo, com o concreto. E, não, não mesmo, com apostilas.

uso de apostilas

Crianças precisam de experiências sensoriais.

Se a criança pode contar seus dedos das mãos e dos pés, porque ela precisaria de uma apostila com a figura de tal órgão estampada num papel? Se ela pode verificar que um animal é maior que o outro em seu dia a dia, porque fazer através de figuras?

Esse post foi feito em consequência da observação que nós, profissionais aqui do Espaço Mediação, temos feito no dia a dia. Temos convivido com as dificuldades de aprendizagem decorrentes da falta de experiências sensoriais motoras e pré-operatórias, que têm sido desconsideradas e deixadas para segundo plano na Educação Infantil, quando deveriam ser a prioridade. Falta de experiências nessa faixa etária deixam lacunas que aparecem após o processo de alfabetização, quando a aprendizagem torna-se mais formal (bem como as avaliações!)

Para ajudar as famílias a entenderem um pouco sobre esse assunto, separamos alguns pontos e formatamos em perguntas e respostas.

Apostilas X Educação Infantil

Como as apostilas podem ser prejudiciais à criança?

Conforme mencionamos na introdução deste post, acompanhamos escolas de educação infantil que colocam como diferencial de seu ensino o trabalho com materiais didáticos ou apostilas. Sabemos que a realidade, muitas vezes, é de pouco espaço ao ar livre, pequenas salas de aulas, pouca disponibilidade para enfrentar desafios com as crianças e formação restrita dos professores. Em consequência de tal cenário, as atividades dentro dos espaços fechados acabam sendo a única opção, uma vez que não necessitam de estrutura, tão pouco planejamento por parte dos profissionais da educação. São realizadas com poucos estímulos e pouca liberdade de ação.

Por outro lado, no momento de apresentação da escola, o uso das apostilas salta os olhos de muitas famílias, pois traz a falsa impressão de que o material garantirá que a inteligência do filho seja treinada desde a primeira infância. No entanto, um efeito contrário a essa expectativa pode acontecer, uma vez que limitar crianças pequenas ao uso de materiais prontos pode, também, limitar seu espaço de livre ação e criatividade, momentos estes riquíssimos para o processo de construção da inteligência (termo preferido de alguns pais). Na fase dos períodos sensório-motor (0 a 2 anos, aproximadamente), assim como pré-operatório (2 a 7 anos, aproximadamente), as crianças precisam de experiências em diferentes âmbitos, e para isso não é necessário que folhas de atividades sejam preenchidas regularmente, mas que momentos de construção e interação intencionais sejam o norte do trabalho.

brincar

Meu filho já apresenta algumas dificuldades, como reverter essa situação?

O processo de alfabetização geralmente é o grande “descobridor” de faltas de experiências próprias da educação infantil. Nesse momento, em sua maioria por volta dos seis ou sete anos, a criança está deixando o período pré-operatório. Isso significa que seus interesses também serão modificados dessa etapa em diante e que será necessária a intervenção de um profissional para resgatar tais estímulos. O psicopedagogo possui formação para trabalhar os elementos mencionados dentro dos interesses de cada criança e, além disso, o processo de alfabetização.

Como “investigar” a escola para saber a se dão importância ao sensorial, ao motor e às experiência pré-operatórias?

Fazer uma visita e ficar atento ao discurso dos profissionais que o apresentam à escola, bem como pedir para observar vivências que estão acontecendo no momento, as salas de aulas e os demais espaços físicos. Buscar informações e fotos nos sites e informativos da escola também podem ajudar. Se a escola mencionar o uso de apostilas para o Ensino Infantil, é importante que explanem acerca da frequência com que esse material é utilizado e qual a metodologia. Um bom indicativo de que a escola estimula vivências é a forma com que a criança chega a casa. Se ela estiver sujinha é um sinal de que explorou o mundo ao seu redor!

Slow Kids

Tempo para brincar no quintal. Imagem – Elis Ales

O que são experiências sensoriais e por que elas são importantes?

Quando o bebê nasce a sua primeira fase do desenvolvimento se chama sensório-motora, isto é, suas aprendizagens vão no sentido de a criança conseguir adquirir controle motor e aprender sobre os objetos físicos que o rodeiam. As novidades que ele aprecia e as descobertas que faz se dão por meio de suas próprias ações, as quais são controladas por informações sensoriais imediatas. Realiza exploração manual e visual do ambiente, imita ações, agarra, suga, atira, bate, chuta e percebe que essas ações modificam o ambiente.

A interdependência entre perceber o mundo e atuar nele através do deslocamento corporal e sensações variadas é que demonstram a riqueza das descobertas desta fase, logo, a importância de oportunizar práticas que o levem a essas descobertas. As ações mentais que as crianças são motivadas a desenvolver a partir de suas experiências sensoriais e motoras são a base das construções sucessivas que modificarão as estruturas cognitivas durante todo o seu desenvolvimento.

Não estamos falando de superestimulação através do uso de brinquedos coloridos, barulhentos e que piscam, mas de manipulação de objetos diferentes que instiguem experiências que trarão novas descobertas. O uso de materiais não estruturados (alguns para exemplificar: papelão, retalhos, folhas de árvores, balão, lã, tampas e garrafas) combinados a elementos naturais (água, terra, vento, luz) e a disponibilidade de tempo resultam em diferentes experimentações que certamente farão a diferença na elaboração dos conhecimentos que a criança faz sobre a realidade.

Como a educação infantil deveria promover essas experiências?

Primeiramente entendendo a criança como curiosa, pesquisadora, ativa em seu processo e capaz de construir seus conhecimentos. Para isso, é necessário, além da intencionalidade das ações pedagógicas, a observação e a escuta das crianças. A interpretação das suas ações e falas precisam ser os balizadores do planejamento do trabalho, assim, contextos apropriados para que as crianças sejam estimuladas e respeitadas no seu processo cognitivo de descoberta do mundo serão criados.

Na prática estamos falando de formação de professores e famílias que respeitem o protagonismo da infância, oferecimento de espaço e materiais variados e adequados para as faixa-etárias, prioridade no trabalho de desenvolvimento da linguagem oral, da função simbólica e do brincar, variação das linguagens de interação com a criança (arte, teatro, música, trabalhos manuais, culinária e tantas outras possíveis).

espaço mediação logoMichelle Klaumann e Danielle Gross de Freitas – psicopedagogas do Espaço Mediaçãocontato@espacomediacao.com.br

 

 

posts relacionados

3 Comments

  • Achei super interessante, quero receber mais informações sobre educação infantil

  • Gostaria e receber periodicos

    • Olá Ionara. Basta se inscrever na nossa newletter.

      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *