Biblioteca compartilhada

Que tal juntar os primos ou amiguinhos e montar uma biblioteca compartilhada? Um jeito diferente de incentivar a leitura, o cuidado e a troca.

Biblioteca compartilhada
Criar e Educar
24 de agosto de 2013

Que incentivar a leitura nas crianças é função dos pais e não só da escola, isso todo mundo já sabe. Mas às vezes é preciso ser criativo para tornar o momento de leitura ainda mais especial. Aqui em casa acabamos de inventar nossa mini-biblioteca compartilhada.

Foi depois de uma viagem de férias a Porto Alegre, na casa da vovó, que tivemos a ideia. Lá mora um primo da Julia que está com sete anos, na segunda série, e como a maioria das crianças adora mesmo bola, futebol e videogame. Toda terça-feira ele pega um livro novo na escola. E está lendo super bem. Mas um incentivo é sempre bom, não é?

Então nossa biblioteca compartilhada vai funcionar assim: uma vez por mês enviamos um livro para o primo em Porto Alegre, com uma cartinha carinhosa. Ele lê e se compromete guardar o livro com cuidado. Quando formos novamente para casa da vovó, ele escolhe alguns livros para mandar para a Julia.

No nosso caso temos uma diferença grande de idade. O primo tem 7 anos e a Julia 1 ano e meio. Mas o bacana é que o mesmo livro pode ser usado para leitura individual pelo primo e como leitura compartilhada para a Julia. Se você tiver crianças com idades parecidas em sua família a biblioteca compartilhada pode ser ainda mais bacana, podendo proporcionar trocas não só de livros, como de experiência de leitura. Tanto entre as crianças, como entre os pais.

Dica de livro:

“A palavra AMIZADE desse jeito se explicou:

– Não deixo ninguém ficar sozinho. Esta é a minha função. Sou como o cimento que junta os tijolos, sou como manteiga juntado o pão.” A conversa das palavras – Jandira Masur

a conversa das palavrasProcurando na livraria um livro para começar nossa biblioteca compartilhada, encontrei A conversa das palavras de Jandira Masur. O livro é um encanto e está dentro da faixa etária para leitura individual que eu estava procurando, 7 anos.

O livro conta a história de quando as palavras resolveram conversar sobre o significado de cada uma. “Há palavras fáceis de se explicar como bola, peixe, livro… Mas será que palavras como curiosidade e saudade vão conseguir se fazer entender?”

Até eu, um pouquinho a cima da faixa etária indicada, me emocionei. Livro bom pra mim é assim, toca o coração do leitor não importa a idade.

“A palavra SAUDADE foi embora deixando vazio o seu lugar. Foi o melhor jeito que ela teve de tentar se apresentar”

Aproveite para conferir algumas dicas de como deixar o momento da leitura ainda mais legal!

Que histórias você gosta de ler para seus filhos? Participe através da nossa página ou escreva para contato@maezissima.com.br

posts relacionados

Comments are closed.