10 Dicas para uma boa comunicação com seus filhos

Nem sempre a comunicação com nossos filhos é fácil. Volta e meia complicamos a situação porque não entendemos ou não nos fazemos entender. Confira 10 dicas para vencer esse desafio.

10 Dicas para uma boa comunicação com seus filhos
Criar e Educar,  Especial
14 de outubro de 2015

Você e seu filho vem conseguindo ter uma comunicação de forma eficiente e satisfatória? Informar e transmitir o que pensamos e queremos nem sempre é uma tarefa fácil junto aos filhos. Esta habilidade depende muito de um exercício diário dos pais para desenvolver uma boa comunicação. E isso começa desde muito cedo e se estende por muito tempo na vida do seu filho.

Lembrem-se que somos modelo e responsáveis pelo diálogo que queremos ter com eles e por isso seguem algumas dicas para uma boa comunicação:

10 Dicas para uma boa comunicação com seus filhos

1 – Procure ouvir atentamente o que seu filho tem a falar. Nem sempre compreendemos rapidamente o que eles querem nos informar. Pergunte e permita que ele busque novas forma de expressar o que deseja informar antes de julgarmos.

2 – Não atropele seu filho tentando adivinhar ou finalizar o que ele tem para falar. Essa é uma atitude desrespeitosa e que não o ajuda a compreender e organizar seus pensamentos para uma boa comunicação.

3 -Se não houver disponibilidade para ouvi-lo informe que voltarão a conversar em outro momento e que certamente terá mais tempo e atenção para ele. Mas lembre-se que certos temas ou assuntos ao serem adiados perdem sua importância ou podem ser vivenciados como falta de interesse dos pais. Esteja atento a situação!

4 – Evite resposta apressada e pouco refletidas. Podem ser uma armadilha para você ao não se lembrar o que falou ou com que se comprometeu. Seu filho certamente lembrar e cobrará!

5 – Busque um momento propício para conversar e não expor seu filho desnecessariamente.

conversar

Imagem: Evary Leal

6 – Seja um modelo de comunicação quando busca expressar honestamente e de forma clara o que deseja ou espera dele. Seja franco e objetivo ao formular suas perguntas.

7 – Nem sempre estamos pronto ou sabemos o que responder a um filho. Seja sincero e admita que não sabe o que dizer ou mesmo como respondê-lo naquele momento. Comunique sem constrangimento que vai pensar no assunto, buscar ajuda ou mesmo a informação para atender seu questionamento.

8 – Não tenha medo de se emocionar! A emoção também é uma resposta e pode falar de cumplicidade, medos, preocupações, conquistas e alegrias. Permita-se vivencia-la e deixar seu filho expressá-la para que possam continuar a conversar de forma tranquila.

9 – Seja justo e equilibrado procurando ouvir e expressar os dois lados da situação. Sempre haverá pontos positivos e negativos que precisam ser considerados. Evite ameaças, dramatizações, chantagens ou mesmo visões excessivamente positivas. Juntos, pais e filhos precisam buscar formas de se entenderem a fim de evitarem distanciamento pela falta de comunicação.

10 – E finalmente lembre-se que comunicamos muitas vezes sem perceber de forma não-verbal. Cuidado com as incoerências nessa comunicação! Nossas expressões faciais e corporais, nosso tom de voz e algumas atitudes comunicam mais que muitas palavras.

Boa sorte e uma boa comunicação!

Vânia Vidal de Oliva ─ Psicóloga Clínica

Vânia Vidal de Oliva - Autor MãezíssimaPsicóloga Clínica com 28 anos de experiência no atendimento de adolescentes, adultos e na orientação familiar. Atua hoje na Clinica Casa do Crescer na cidade de Curitiba. Colunista do site  Mãezíssima e do Blog da Clínica Base –BH.

 

posts relacionados

Comments are closed.