Alergias alimentares em crianças (APLV e intolerância a lactose)

O que são as alergias alimentares, como notar os sintomas, qual a diferença entre APLV e intolerância a lactose? Confira todas essas informações nesse texto feito pela especialista em nutrição infantil Cristiane Crisuk.

Alergias alimentares em crianças (APLV e intolerância a lactose)
Especial,  Saúde
17 de outubro de 2016

Cada vez mais, as alergias alimentares estão presentes nas rotinas das famílias, e por isso o assunto tem gerado muitas dúvidas. Mas para iniciar nossa conversa sobre alergia, vamos entender um pouquinho mais sobre esse tema?

O que é Alergia alimentar?

A Alergia Alimentar é uma Reação Adversa a determinado alimento. Envolve um mecanismo imunológico e tem apresentação clínica muito variável, com sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrintestinal e respiratório. As reações podem ser leves com simples coceira nos lábios até reações graves que podem comprometer vários órgãos. A Alergia Alimentar resulta de uma resposta exagerada do organismo a determinada substância presente nos alimentos. Portanto se observar qual reação do seu filho após ingerir algum alimento, fique atenta aos sintomas e se necessário procure um médico.

Nas crianças as alergias mais comumente apresentadas são as alergias ao leite de vaca, ovo, soja. Estas costumam desaparecer conforme a criança cresce, porém a sensibilidade a amendoim, crustáceos e camarão raramente desaparecem.

Atualmente o número de diagnósticos de crianças com alergia ao leite de vaca tem crescido consideravelmente e sobre ela vamos falar mais.

Alergia ao leite de vaca

leite

Imagem: www.sxc.hu

O leite costuma ser o primeiro alimento que a criança desenvolve alergia, seja por ter recebido o leite artificial ou fórmula infantil (que contém as proteínas do leite de vaca) ou até mesmo através do leite materno caso a mãe consuma alimentos que contenham as proteínas do leite de vaca e que passam para o leite materno. Ou seja, independente se a criança é alimentada com leite artificial ou com aleitamento materno exclusivo, ambas estão sujeitas a desenvolver alergia à proteína do leite de vaca (APLV), porém o primeiro grupo com maior freqüência visto que a exposição ao alimento que causa alergia é maior.

Como diagnosticar APLV?

Se notar alguma reação após o consumo de leite ou derivados, ou até mesmo se consumido leite materno ou fórmula infantil no caso de bebês, deve-se procurar ajuda médica. Um gastroenterologista poderá avaliar melhor o caso e solicitar ao médico alergista que sejam realizados exames específicos.

Então fique atenta aos sintomas:

Pele: urticária, eczemas, dermatites atópicas;

Respiratório: tosse, secreção nasal, chiado no peito, fechamento de glote (este é caso de emergência);

Gastrointestinal: vômito, diarréia, obstipação freqüente, flatulência, fezes com sangue;

O conjunto de sintomas, juntamente com o teste de provocação alimentar e exclusão na dieta poderão determinar o diagnóstico, assim como a realização de exames para alguns casos.

APLV e intolerância a lactose

Outra questão que notamos no cotidiano dos consultórios, é a confusão a respeito da APLV e intolerância a lactose. Como falamos inicialmente a alergia é uma reação ao sistema imunológico e está relacionada à proteína do leite. Já a intolerância a lactose está relaciona a sensibilidade do organismo com este carboidrato. Quando existe uma deficiência na produção da enzima que participa da digestão da lactose, sendo mais comum em crianças acima de 2 anos, adolescentes e adultos.

Entendendo esta diferença entre APLV e intolerância à lactose, facilita o entendimento do tratamento. Para APLV precisamos retirar da dieta todo alimento que contenha proteína do leite de vaca, o que inclui leites e derivados, produtos industrializados que contenham proteína do leite em sua composição (e aí entra a questão da falta de informação no rótulo, pois nem sempre está clara a informação para população em geral). Em alguns casos é preciso cuidado com a contaminação cruzada (utilização de utensílios que tenham traços das proteínas) e em casos mais severos, até o uso de cosméticos inclui certo cuidado.

Já para intolerantes a lactose a dieta é menos restrita e hoje em dia existem produtos destinados a este público. A dieta deve conter alimentos isentos de lactose para substituição dos tradicionais ou o a pessoa pode utilizar a enzima lactase quando consumido leite e derivados de leite na versão tradicional.

Comparação entre APLV e Intolerância a lactose

APLV e Intolerância a Lactose

Fonte: ABC Nutrição Infantil

Uma maneira de prevenir a APLV é oferecer o leite de vaca e/ou alimentos que contenham leite na preparação somente após o primeiro ano de vida da criança, assim como amamentar exclusivamente até os seis meses e manter o aleitamento materno após este período.

Envie suas dúvidas, compartilhe informações confiáveis e de profissionais!

Cristiane Crisuk ─ Nutricionista Infantil

Cristiane Crisuk- Autor do MãezíssimaNutricionista de formação, descobrindo as maravilhas da nutrição infantil sendo mãe da Isa Maria. Sempre gostou de cozinhar e agora mais ainda. Atualmente desenvolve trabalho de educação nutricional infantil no hospital que atua e também em escolas. Está desenvolvendo projeto para oficinas com abordagem na alimentação e nutrição infantil, e também atendimento domiciliar para famílias, o ABC Nutrição Infantil. Nas horas vagas tem como hobby ou “terapia” costurar.

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *