Ei, me de um descanso! Um texto sobre mães cansadas. Você conhece alguma?

Porque mães não podem demonstrar publicamente que estão cansadas? E, pelo amor de Deus, porque continuamos a massacrar as mães diariamente?

Ei, me de um descanso! Um texto sobre mães cansadas. Você conhece alguma?
Especial,  Ser mãe
14 de agosto de 2016

Qual é o seu sentimento quando vê uma mãe cansada? Você sabe reconhecer uma mãe cansada? Talvez não, mas com certeza percebe quando uma mãe está impaciente com seu filho. Quando está com “cara feia”, quando grita, quando não compreende o que o pequeno quer dizer. Quando deixa que comam qualquer coisa ou façam um grande bagunça onde seria inconveniente. Mães cansadas estão por aí, em toda parte, e sempre por perto tem uma sociedade inteira pronta para atirar pedras de incompreensão, principalmente outras mães.

Você pode até pensar, eu fico cansada, mas não faço o que “ela” fez. Sabe o que difere você de qualquer mãe sobrecarregada? Talvez uma única ajuda na hora certa. Um apoio no momento exato, que sem ele você perderia as estribeiras. Às vezes pode ser uma hora a mais de sono, ou um conselho que você ouviu ainda quando nova.  Se você é mãe, em qualquer momento pode ser aquela mãe cansada. Sabe o que é difícil de admitir? As muitas vezes que  longe dos olhos de todos, somos exatamente aquela mãe cansada? Quantas dizemos silenciosamente: ei, me de um descanso? Mas publicamente mantemos o sorriso conveniente.

Sabe, é por nós mesmas, nossos grupos de facebook ou whatsap que precisamos começar a mudar esse julgamento exacerbado. Dá próxima vez que ver uma cena que no fundo tem como causa uma mãe que já não está mais “segurando as pontas”, não julgue. Pense em todas as vezes que precisou de um olhar de aceitação e seja a mudança que quer ver no mundo.

mãe cansada

Mas como ajudar uma mãe cansada?

1º – Não julgue. Mesmo que você conheça a realidade daquela mãe, não julgue. Cada um sabe as alegrias e tristezas de ser quem é. Você não sabe o que está acontecendo? Mais um motivo para não expressar opinião nenhuma, nem sobre a mãe, nem sobre os filhos.

2º – Veja o como pode facilitar a situação, mas evite interferir na relação entre a mãe e o filho. Você pode carregar as compras? Pode dar mais espaço? Pode oferecer água? Mas não diga como “ela” deve proceder, qual é a coisa que você julga certa a ser feita. Não conte o último livro que leu sobre educação de filhos. Essa não é a hora, acredite!

3º – Apoie a mãe. Você pode até pensar por um segundo: mas ela está gritando com os filhos. Não faça isso, apoie essa mãe. Ela precisa segurar a onda, claro. Mas precisa primeiro ter condições de se estruturar novamente. Ela pode não estar tendo a melhor reação, mas ainda assim precisa do nosso apoio. Até mesmo para conseguir encontrar caminhos melhores.

E apenas se ela pedir ajuda, faça. 

Mães de todo Brasil, vamos começar a apoiar umas as outras. Afinal, todas precisamos de um descanso em algum momento, todas precisamos de suporte. Seja parte dessa mudança, decida começar hoje.

Grace  I. Barbosa ─ Mãezíssima

Grace e Julia perfilIdealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *