Inveja materna: você tem de alguém, alguém tem de você!

Gostaria de dizer que ela não existe, mas sim, fazem parte do nosso dia a dia. Nossas pequenas invejas maternas. O importante é o que você faz com esse sentimento. Leia e comente!

Inveja materna: você tem de alguém, alguém tem de você!
Especial,  Sem categoria,  Ser mãe
21 de junho de 2016

Gostaria de dizer que isso não existe. Mas negar não adianta. Sim, temos invejas maternas. Sabe quando você vê o filho da amiga jantando educadamente num restaurante? Ou ouve falar sobre um jantar romântico que o casal de amigos com filho pequeno conseguiu fazer no fim de semana? Quando ouve outra mãe contando das ajudas que recebe de avós, tias, primos, papagaio e etc? Então, isso é a pontinha de inveja materna se manifestando no seu dia a dia.

Ser mãe e dar conta de tudo que precisamos cuidar é extremamente desgastante, isso não é novidade. É perfeitamente humano, olhar para as facilidades de outras mães e pensar: ah, se fosse assim comigo eu seria muito mais feliz. Ou então, essa mãe não sabe o que está falando, se soubesse o que eu passo. Todas nós passamos por momentos de inveja materna, isso só comprova o quanto realmente somos humanas e precisamos de ajuda.

Particularmente, meu ponto franco é quando ouço sobre ajuda com os pequenos. Sabe aquela frase solta, como por exemplo, “estão na avó!” Nessa hora já sinto o bichinho da inveja materna comendo um pedacinho da minha felicidade!

Brincadeiras a parte, a verdade é que não vivemos num mundo ideal. Em nosso pé, sempre terá um calo que aperta mais do que em outras pessoas. Uma marca que é nossa, porque reflete a nossa caminhada e as nossas faltas.

Voltando a minha história pessoal. Por outro lado, já ouvi diversas vezes, outras mães comentando comigo: isso só acontece porque sua filha é muito boazinha. Pronto, sou capaz de ver o bichinho da inveja materna corroendo um pedacinho da felicidade daquela mãe.

inveja materna

É um ciclo gigante e envolve todas as mães do mundo – damos conta super bem de algo, porque do outro lado algo nos falta. Se sinto uma certa inveja de quem tem ajuda gratuita e familiar, sei que outras mães sentirão inveja de outras coisas em relação a minha maternidade.

O mais importante disso tudo, não é apenas assumir nossas invejas, ou saber que todo mundo deseja algo que não tem. O mais importante é ter empatia até mesmo por aquela mãe que parece perfeita, ou ainda aquela mãe que está nos invejando profundamente. Empatia por saber que a falta que ela sente, nós também sentimos, mesmo que de outra forma. No fundo somos mães que precisam de ajuda, acolhimento, carinho e cuidado. Todas nós!

Da próxima vez que sentir o bichinho da inveja de outra mãe, respire fundo e sorria. Você não faz nem ideia do que essa mãe está passando e qual é a inveja que ela esta sentindo!

O mundo, minhas queridas, é muito melhor se nos ajudamos mutuamente e verdadeiramente

 

Grace  I. Barbosa ─ Mãezíssima

Grace e Julia perfilIdealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

posts relacionados

2 Comments

  • Bom dia Grace, excelente texto, parabéns!
    Eu tenho dois bichinhos que me pocam: o primeiro é o mesmo que o seu, inveja de ajuda gratuita e familiar. E o segundo, é uma irritação desproporcional com sites e blogs sobre maternidade em que a blogueira escreve sobre o dia que passou cuidando da família, fazendo ginástica, compras para personalizar a festinha de aniversário do filho e no fim conclui “como sou coitadinha, quantas coisas eu fiz” e vc simplismente não fez isso porque estava trabalhando pra pagar contas :/
    Acho que projetei nas blogueiras está inveja porque só convivo com mães que trabalham fora, rsrsrs. Bem todo este textão pra agradecer vc que é da mídia mas faz um site com muita utilidades e com a qual me identifico porque vc demonstra que tem uma rotina muito proxima a minha. Enfim, sei que estou errada e vou me esforçar em ter empatia por quem tem realidades distintas.
    Gratidão
    Larissa

    • Oi Larissa, bom ler que se identificou. É realmente essa coisa de maternidade, comparações e tudo mais.. é muito difícil. Mas sigamos, temos que melhorar, mas já estamos no caminho! 🙂
      Grace

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *