Light e diet para crianças?

Será que devemos oferecer produtos ligth e diet para nossos filhos? A nutricionista Cristiane Crisuk responde essa dúvida das Mãezíssimas. Confira

Light e diet para crianças?
Alimentação,  Especial
14 de setembro de 2014

Vejo muitas famílias preocupadas com a alimentação de seus filhos, principalmente no que diz respeito à ingestão de açúcares e gorduras. Nesta tentativa de uma alimentação mais saudável e reduzir principalmente a quantidade de açúcar, muitas mães optam pelos produtos light ou diet. Mas será que as crianças podem consumir estes alimentos?

Primeiro vamos esclarecer a diferença:

Diet

São alimentos que em sua composição possuem redução ou ausência de um determinado nutriente, por exemplo açúcar ou sódio, utilizado para dietas que exigem esta restrição do nutriente específico para controle de uma patologia, no caso acima, para diabetes e hipertensão.

Light

São alimentos que possuem uma redução calórica de 25% comparado com o alimento tradicional, que para isto restringem gorduras e substituem o açúcar por adoçantes.

açucarA principal questão é utilizar adoçantes artificiais na dieta infantil pode sobrecarregar rins e fígado para sintetizar estas substâncias. Muitos dos edulcorantes artificiais (é o nome também para os adoçantes) possuem sódio em sua composição, o que também não é saudável para uma criança, visto que suas necessidades de sódio são facilmente atingidas com a alimentação. Sendo assim o rim precisa trabalhar mais para excretar o que excede.

Além disso, por seu uso ser recente, ainda não existem muitos estudos sobre as possíveis conseqüências da ingestão deles em crianças, portanto melhor evitar o desconhecido!

E para crianças que já possuem sobrepeso e precisam de um controle na ingestão das colarias (sempre orientado pelo nutricionista) pode-se optar pelos adoçantes naturais, stévia e sucralose, juntamente com uma reeducação alimentar. Para crianças diabéticas o uso do adoçantes torna-se uma alternativa também, porém este deve ser muito bem orientado e supervisionado pelo pediatra e ou nutricionista.

Mas o melhor mesmo é educar o paladar das crianças para o sabor natural dos alimentos, oferecendo uma alimentação com o mínimo possível de adição de açúcares. Não tem problema nenhum em a criança beber por exemplo um suco de laranja ou abacaxi azedinho, este é o sabor natural da fruta, ensine ao seu filho que assim também pode ser saboroso!

Importante:

Preste muita atenção quanto aos rótulos de alguns alimentos, aqueles que possuem em seu rótulo zero adição de açúcar vale a pena ler a lista de ingredientes e verificar se nele não consta algo como: edulcorantes, ciclamato, sacarina, aspartame, acesulfame-K, que nada mais são que adoçantes artificiais. Hoje mesmo me deparei com esta situação, ao experimentar uma bebida láctea com quinoa e linhaça, achei-a muito doce para uma bebida zero açúcar e fui ver sua lista de ingredientes e lá estava: adoçantes. Mas nada diz na embalagem em ser algo light ou adoçado artificialmente. Então cuidado ao comprar produtos industrializados, você pode estar comprando gato por lebre!

Cristiane Crisuk ─ Nutricionista Infantil

Cristiane Crisuk- Autor do MãezíssimaNutricionista de formação, descobrindo as maravilhas da nutrição infantil sendo mãe da Isa Maria. Sempre gostou de cozinhar e agora mais ainda. Atualmente desenvolve trabalho de educação nutricional infantil no hospital que atua e também em escolas. Está desenvolvendo projeto para oficinas com abordagem na alimentação e nutrição infantil, e também atendimento domiciliar para famílias. Nas horas vagas tem como hobby ou “terapia” costurar.

posts relacionados

2 Comments

  • parabens pelo site muito bom , gosto muito do seu site, aguardo mais conteudo como esse…

    • Obrigada Yuri, acompanhe nossa coluna Caderno de Receitas que sempre estaremos postando textos interessantes sobre alimentação infantil.

      Abraços