Monstros SA e a educação de filhos

Esses dias, depois de ouvir a conversa de alguns amigos, pensei como é perfeita a analogia da educação de filhos que temos hoje em dia e o filme Monstros SA. Duvida? Então leia:

Monstros SA e a educação de filhos
Criar e Educar,  Especial
4 de março de 2015

Esses dias estava em um almoço com vários amigos quando começaram a surgir aqueles causos da nossa infância. O tipo de vara que a mãe batia, as peças que outra mãe inventava para conseguirem um tempinho sozinha, os inúmeros medos que faziam parte do nosso imaginário infantil. Mas chegou uma altura da conversa que veio a fatídica frase: se funcionou comigo vai funcionar com meus filhos também. Humm…

Essa conversa me fez lembrar de um filme, Monstros S A e como ela tem tudo a ver com a educação de filhos hoje em dia . Mais precisamente o primeiro da série. Vocês lembram-se da história? Mais ou menos assim:

educação de filhos

Cena do filme Monstros SA.

A cidade dos monstros, Monstrópolis, estava vivendo uma crise porque tiravam sua energia dos sustos que davam nas crianças, porém o número sustos estava diminuindo consideravelmente. Os monstros não assustavam mais as crianças como antigamente. No meio dessa trama, os protagonistas descobrem que as risadas de alegria geram muito mais energia e depois de alguns percalços, eles salvam a cidade com essa descoberta.

Algumas vezes, quando penso em educação e criança de filhos parece que estou dentro desse filme, trocando apenas monstros por pais e energia por educação. Por mais que pareça tão divulgado formas positivas de disciplina, educação através do diálogo e da não violência, parece que grande parte da população, inclusive muitos jovens, não conseguem acreditar nas mudanças. Estão presos numa visão fechada e conservadora de criação, baseada no medo, no controle e na imposição.

Não é porque um tipo de educação “funcionou” com você, que não possa existir formas melhores e mais prazerosas de chegar a um adulto feliz, saudável e realizado. Formas agressivas e violentas produzem adultos educados, pode até ser que sim. Mas já sabemos que também produzem adultos infelizes, agressivos e violentos. Estamos acostumados a usar a palmada na educação, mas outras formas de diálogo podem funcionar muito melhor que a “vara”.

O problema é lidar com a mudança, é muito difícil para nós adultos aceitarmos que precisamos aprender uma forma diferente de educar os filhos. Mas é muito prazeroso ver que os resultados são melhores e o caminho muito mais feliz. Se você nunca tentou, te desafio a tentar!

Grace  I. Barbosa ─ Jornalista

Grace Barbosa - Autor do Mãezíssima

Idealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

 

 

posts relacionados

1 Comment

  • Muito bacana o texto.
    A disciplina positiva pode exigir muito mais dos pais hoje do que a maneira como eles foram educados antigamente.
    É necessário o esforço, a paciência, a conexão com os filhos…
    Mas devemos sim buscá-la!!
    Sem dúvida os benefícios para nossos filhos serão maiores!!
    Lindos texto e comparativo!!
    Amo Monstros SA! rs