O amor: Livre adaptação de I Coríntios 13 para MÃES

Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não houvesse amor, de nada valeria. Ou em outras palavras, se soubesse tudo sobre educação de filhos, mas não houvesse amor, de nada adiantaria toda a teoria. Às vezes é preciso voltar ao essencial.

O amor: Livre adaptação de I Coríntios 13 para MÃES
Especial,  Ser mãe
11 de julho de 2016

Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor para com meu filho, serei como o sino que ressoa ou como prato que retine. Ou seja, só palavras no espaço.

Ainda que eu tenha fé, crenças, espiritualidade, praticar yoga, tai chi chuan, ser vegetariana ou vegana, se não tiver amor para com meu filho, eu nada serei.

I Corintios 13 para MãesO amor é paciente, principalmente quando é preciso repetir 456 vezes: vá tomar banho. Até nas fases dos porquês, ou na hora que o pratinho de comida cai no chão limpo. O amor é bondoso até quando você achar que seu filho está fazendo de propósito. Não se vangloria, não inveja, não se orgulha. Não maltrata, ou deixa chorar sem consolo, não procura seus interesses, não se ira facilmente. NÃO SE IRA FACILMENTE, mas olha seu filho como um ser humano em formação.

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta porque não vive a ilusão de uma maternidade “comercial de margarina”. Sabe das noites sem dormir, da sensação de estar fazendo tudo errado, mas espera em esperança o dia da alegria, do tempo de brincar, do compartilhar o cuidado. Porque sabe que não existe um jeito fácil, rápido e em 5 tópicos, para cuidar e educar filhos nos nossos dias.

O amor nunca acaba. Mesmo que você vá dormir muito cansada, com o rosto molhado por lágrimas. Na manhã seguinte (ou durante a madrugada), irá acordar renovada no seu amor.

Porque o amor é o maior de todos os sentimentos, o único que permanecerá por toda eternidade.

****

É nesse tipo de amor que eu acredito. É nesse amor que deve estar baseada todas suas decisões. Um amor nada romantizado, mas persistente e resiliente.

Esse amor real não é “natural”, mas uma decisão e o mais importante: um aprendizado diário. Acima de qualquer teoria, conselho, palpite, quando precisar tomar decisões sobre seu filho, ou na rotina massacrante do dia a dia, ame com esse amor.

Você já leu I Corintios 13 dessa forma?

 

Grace  I. Barbosa ─ Mãezíssima

Grace e Julia perfilIdealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *