Você já conhece a técnica de introdução alimentar BLW?

Nesse post você irá conhecer a opinião da nutricionista e mãe, Cristiane Crisuk, sobre o método de introdução alimentar BLW. Leia mais:

Você já conhece a técnica de introdução alimentar BLW?
Alimentação,  Especial
8 de março de 2015

Talvez vocês já tenham ouvido falar a respeito desta nova técnica de introdução alimentar, a Baby Led Weaning ou BLW. Para quem ainda não conhece, falando de uma maneira simplificada, o método consiste em oferecer alimentos em pedaços médios para criança pegar e se alimentar sozinha, nada de papinhas! Recomendo que leiam as Diretrizes para BLW, pois existem recomendações importantes a respeito de quem quer aplicar o método (link no final do texto). Mas minha proposta aqui é trazer a minha opinião enquanto nutricionista, a respeito desta técnica.

O lado bom é a despreocupação em preparar papinhas, mas não ache que é só ir oferecendo qualquer alimento à criança, pois é preciso manter o cuidado da procedência, da higiene, dos temperos (nada de tempero pronto, sal e adição de açúcar). A família toda deve ter consciência alimentar, pois não são indicados alimentos processados e industrializados, portanto é preciso cuidado na preparação da refeição tradicional.

BLWTambém é positiva a questão da participação da criança durante as refeições, onde ela verá os demais membros da família se alimentar e isto certamente será o seu principal exemplo, e aí que deve-se ter cuidado com o que come, pois os bebês se interessam pelo o que os pais estão comendo, se for algo processado, industrializado ou não tão saudável, despertará o interesse da criança.

Mas também vi muita gente por ai (na blogsfera!!!) dizendo que aposentou o liquidificador e a peneira, pois com esta técnica não precisa utilizá-los. A questão é que para o preparo das papinhas não recomendamos a utilização de liquidificadores e peneiras, nem mesmo nas primeiras papinhas, nem mesmo quando a criança ainda não tem nenhum dentinho. Ao contrário, orienta-se que amasse com o garfo, para ficarem pequenos grumos que estimulará a mastigação, mesmo que seja apenas com a gengiva, pois isto também estimulará a dentição.  E após a criança já ter aprendido o processo de mastigar e engolir (que ocorre por volta dos 8 meses) recomenda-se que mantenha pedaços dos alimentos para ela mastigar e também que seja fornecido alimentos para ela pegar com as mãos e levá-los a boca.

A criança que é alimentada pela técnica BLW antes dos 8 meses provavelmente não atingirá suas necessidades energéticas, pois ainda está desenvolvendo o processo de mastigar e engolir. Pode ocorrer que ela leve a boca e com o movimento da língua devolva o alimento (isto também acontece involuntariamente com as primeiras papinhas). Mesmo que seja alimentada no leite materno que é riquíssimo em nutrientes, após os seis meses seu organismo necessita de outros nutrientes, por isso justamente este é o tempo de introdução alimentar, para se complementar as necessidades que o leite materno não consegue suprir sozinho.

blw

fonte: http://www.kneesupmotherbrown.me/tag/baby-led-weaning/

Na minha experiência tanto pessoal com a introdução alimentar da minha filha e com os pacientezinhos fofos que tenho, acho que o equilíbrio entre uma coisa e outra é um bom caminho.

Iniciar com as papinhas (preparadas da forma correta, já falamos sobre isto antes) e juntamente proporcionar a autonomia em dar alguns alimentos para criança pegar, experimentar, sentir textura, cheiro, sabor, observar cor e forma é um bom método! Pois assim podemos garantir que ela irá se alimentar, mas também descobrir um mundo novo com os alimentos e desenvolver uma boa relação com eles.

Além disso, sempre oriento para realizarem a refeição em família, este momento é de fundamental importância para a criança, mesmo que ela coma a papinha dela e os pais outra refeição. Nada impende após a papinha ela provar alguns alimentos da refeição dos pais, desde que sejam apropriados para ela. A evolução da papinha deve acompanhar o crescimento da criança, então não pense que ela irá comer papinha amassada até 1 ano de idade. A evolução deve acompanhar seu crescimento para garantir que ao completar 1 ano ela estará apta e independente para comer uma refeição completa juntamente com os demais membros da família, mantendo a refeição saudável e equilibrada.

Outra questão que o método BLW aborda é não forçar que a criança coma. Isto vale também para quem é adepto da papinha e para crianças maiores. A criança já sabe identificar quando está saciada, e ao contrário dos adultos, ela não come se não estiver com fome. Portanto deixar a criança se alimentar em seu ritmo e na sua quantidade é fundamental para qualquer introdução alimentar. Quando a criança é forçada a comer mais do que necessita, ela perde esta “sensibilidade” de saber quando está saciada, e ai as chances de comer além de suas necessidades e ter conseqüências futuramente como sobrepeso e obesidade aumentam.

Estas abordagens em minha opinião são as principais para pensar a respeito da introdução alimentar. Vale a pena saber sobre métodos alternativos, saber como preparar corretamente papinha e como deve ser a evolução do processo até o primeiro ano de idade.

O saudável é saber sempre equilibrar, tanto no que diz respeito à alimentação quanto a tantas outras áreas da vida, não é mesmo?! 

Deixo o link que explica tudinho sobre BLW. (http://www.nossoprimeirobebe.com/diretrizes-para-blw/).

Cristiane Crisuk ─ Nutricionista Infantil

Cristiane Crisuk- Autor do MãezíssimaNutricionista de formação, descobrindo as maravilhas da nutrição infantil sendo mãe da Isa Maria. Sempre gostou de cozinhar e agora mais ainda. Atualmente desenvolve trabalho de educação nutricional infantil no hospital que atua e também em escolas. Está desenvolvendo projeto para oficinas com abordagem na alimentação e nutrição infantil, e também atendimento domiciliar para famílias. Nas horas vagas tem como hobby ou “terapia” costurar.

posts relacionados

Comments are closed.