Existe alternativa aos eletrônicos?

Dicas para entreter e estimular as crianças sem abusar dos aparelhos tecnológicos. Serve para aquele momento que a mãe empreendedora precisa de concentração, mas também para todas as Mãezíssimas que precisam de ideias novas!

Existe alternativa aos eletrônicos?
Mãe empreendedora
5 de novembro de 2013

 Toda mãe empreendedora, principalmente as que trabalham em casa, se veem loucas quando tem aquele trabalho para entregar com prazo super apertado, ou quando tem que atender um cliente ao telefone e a criança está ali, ligada no 220. Nessas horas qualquer solução é bem vinda! E muitas vezes nos entregamos aos tablets, celulares e tv,  porque parecem que hipnotizam as crianças e aparentemente as deixam quietas e sossegadas. Mas existem  sim alternativas aos eletrônicos!

Estamos na era da informação e as crianças parecem que nascem sabendo mexer nesses aparelhinhos. É comum ver bebês passando seus dedinhos nas telas dos celulares, crianças nos restaurantes grudadas aos seus tablets, porém sabemos que não é saudável uma criança passar grande parte do seu dia “conectada” aos aparelhos eletrônicos.  Estou dizendo para abolir esses aparelhos da vida de nossos pequenos? Não, mas afirmo que eles devem ser usados com moderação, me atreveria a dizer que devemos usar o mínimo possível.

 Mas o que fazer com uma criança cheia de energia na hora que eu mais preciso de concentração? Por aqui temos muitas alternativas para fugir dos eletrônicos, confiram algumas que separei para vocês:

Dicas para fugir dos eletrônicos:

1-  Bem, se a criança está cheia de energia, que tal gastá-la um pouquinho? Seu dia pode render bem mais se você usar 1 hora para passear com o seu filho ou levá-lo ao parquinho do prédio. É muito importante para a rotina da criança alternar atividades agitadas com atividades mais calmas.

alternativas

Brinquedos organizados e visíveis. – arquivo pessoal

2-  Outra alternativa é reservar um tempo do dia para estar totalmente com a criança, brincando, interagindo, sem usar este tempo para responder e-mails , atender ao telefone ou ler aquele blog que você tanto adora. A criança é capaz de entender que existem momentos que a mamãe está totalmente com ela, e os momentos que ela estará somente “ao lado”, trabalhando enquanto a criança brinca. Se ela sabe que terá um tempo especial e exclusivo com a mãe, aos poucos vai diminuindo a ansiedade nos demais momentos e os incontáveis chamados de “Mãe” vão diminuindo.

3-   Os brinquedos são guardados organizadamente e ficam visíveis. Não temos NENHUM baú com um monte de brinquedo guardado lá dentro. Todos os brinquedos são guardados em estantes com nichos ou em caixas transparentes, divididos por categoria. Imagine se você tiver todos os seus sapatos jogados dentro de um baú. Provavelmente usará o mesmo todos os dias por ser mais prático e desta maneira irá enjoar dele facilmente, não é? Agora, se eles estiverem lindamente organizados e visíveis em uma sapateira, você vai variar bastante e dificilmente se cansará de algum em um curto espaço de tempo. Assim acontece com a criança que tem seus brinquedos organizados e visíveis, todos os dias ela lembra de algo que não brincou mais e gostaria de “revisitar”.

4-  Nós investimos em brinquedos que ela possa curtir sozinha. Sim, ela tem vários jogos que precisa da nossa ajuda, livros que preciso ler pra ela, outros brinquedos que não tem graça nenhuma brincar sozinha, mas também tem ao seu alcance (e perto do meu local de trabalho) canetinhas, lápis de cor, gizes de cera, massinhas e forminhas, quebra-cabeças, bonecas, jogos de encaixe, papéis, tesouras (ideais para a sua idade), cola, etc.

5-  Reservamos algumas novidades para os momentos de “rush”. Minha filha gosta muito de trabalhos manuais, por isso sempre tenho guardado figurinhas, colas coloridas, gliters, etc, então naquele dia que preciso trabalhar muito eu lanço mão de uma dessas novidades que a deixará envolvida por um bom tempo. Isso vale para qualquer brinquedo que tenha a cara do seu filho. Novidades são sempre boas, até para a gente, não é?

6-   Envolvo ela nos trabalhos que curte (e que são possíveis para a sua idade). Sempre que posso a chamo para a cozinha para me ajudar com as receitas  ou até inventar algumas, peço ajuda em pequenos trabalhos da empresa, assim ela se sente parte e tem prazer em colaborar.

Que tal investir em pequenas ações como essas? Será que dá certo aí na sua realidade? Comente contando as alternativas que você usa na sua casa. 

posts relacionados

1 Comment

  • Olá, é possível informar as dimensões da prateleira e marca das caixas que encaixam nela? Obrigada.