Mães empreendedoras, vamos falar sobre marketing pessoal?

Fazer um excelente trabalho, “bancar” escolhas difíceis, vencer obstáculos, tudo isso é fácil para a maioria das mulheres e mães empreendedoras. Mas quando chega a hora de falar sobre si mesma e seu negócio, muitas de nós perde a fala. Nesse texto você terá um empurrãozinho para começar hoje mesmo a mudar essa postura.

Mães empreendedoras, vamos falar sobre marketing pessoal?
Especial,  Mãe empreendedora
7 de janeiro de 2016

Se você é mãe profissional de carreira ou empreendedora, tenho certeza que vive esse desafio diariamente: vencer a vergonha, a timidez e até mesmo o preconceito de falar bem de si mesma. E aqui estamos falando especificamente de situações onde seu trabalho foi fundamental para o sucesso e crescimento, mas que por algum motivo você não consegue dizer isso aos outros sem se sentir mal.

Como essa é uma área que eu, Grace, tenho muito a melhorar, gostaria de compartilhar as dicas da Gisele Meter. Ela empresária, colunista, escritora e psicóloga e tem o blog Liderança Feminina. Espero que esse texto inspirem vocês a começarem o ano com um novo posicionamento, respeitando antes de tudo vocês mesmas e o trabalho de qualidade que realizam.

gisele meter

Gisele Meter – foto: Danielle Sanson

“Toda mulher deveria gastar ao menos 5% do seu tempo com marketing pessoal.
Existe uma crença entre mulheres, de que se forem apenas boas no trabalho, automaticamente serão promovidas, reconhecidas e recompensadas. Mito.
Não basta ser boa no que faz – é necessário certificar-se que as pessoas saibam disso. Como disse certa vez uma grande amiga: “Não basta botar o ovo, é preciso cacarejar”.
As mulheres costumam ignorar esse aspecto, pois, acreditam que autopromoção é uma coisa feia e assim acabam caindo em um dos complexos a seguir:

  1. COMPLEXO DA QUERIDINHA – “autopromoção fará com que os outros pensem que eu me acho”
  2. COMPLEXO DA BOAZINHA – “se eu for boa o bastante, as pessoas vão ficar sabendo”
  3. COMPLEXO DA AMIGONA – “Quem tem que falar das minhas conquistas são outros, não eu”
  4. COMPLEXO DE GABRIELA – ” As coisas são assim, não dá pra controlar o que os outros pensam”
  5. COMPLEXO DA FREIRA CARMELITA – ” Estou fazendo a minha parte e seja o que Deus quiser”

Autopromoção pode ser uma ferramenta excelente para sua carreira se utilizada de maneira bem dosada e eficiente leia-se: com bom senso. Nada de ficar contando vantagem ou se auto vangloriando, isso são coisas diferentes.
Portanto antes de sair por aí achando que autopromoção é ruim, procure saber exatamente onde quer chegar em sua vida profissional, então crie a imagem certa por meio da exposição correta dentro do que você se sente confortável.

Vale lembrar que tem pessoas que se sentem bem com a autopromoção, outras no entanto, sentem certa estranheza.
A questão é: ache seu ponto de equilíbrio e siga em frente pois, ninguém vai fazer por você aquilo que você mesma deve fazer.”

Bora por em prática?

Grace  I. Barbosa ─ Mãezíssima

Grace e Julia perfilIdealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

posts relacionados

Comments are closed.