Mulher e mãe com muito orgulho, sim senhor!

Você já se sentiu inferior simplesmente por ser mulher, seja no trabalho ou como empreendedora? Então esse texto da Milena Stahsefski é para você!

Mulher e mãe com muito orgulho, sim senhor!

O preconceito pode existir, mas não podemos incorporá-lo”. Ao reler esta frase da Luiza Trajano no prefácio do livro “Faça acontecer”, de Sheryl Sandberg, comecei a refletir sobre situações que vejo e vivo na minha trajetória de vida, enquanto mulher.

Gostaria de começar este texto dizendo que AMO ser mulher. Já vi inúmeras vezes amigas e conhecidas falando, em dias exaustivos, o quanto gostariam de terem nascido homem. Eu nunca senti isso! Nem consigo me imaginar sendo homem. Acho o mundo feminino encantador e as mulheres de uma beleza e uma força que me surpreendem a cada dia. Sou muito grata a Deus por ter me concedido a graça de ser mãe de uma menina, que no auge de seus 6 aninhos de idade já mostra que será uma grande mulher.

mãe e mulher

Milena e filha.

Não quer dizer que seja fácil ser mulher em um mundo tão machista quanto o nosso. Sim, já evoluímos muito, mas ainda temos inúmeros preconceitos entranhados. Nós mulheres, também somos machistas em inúmeras situações e muitas vezes nem percebemos. Não sou militante de movimentos, mas sonho com um mundo onde homens e mulheres se respeitem, onde possam ser iguais mas também possam ser diferentes.

Infelizmente, nós mamães e papais, sem percebermos, criamos meninos e meninas machistas. Desde quando falamos palavrões para os meninos e exigimos que meninas sejam delicadas, quando setorizamos os brinquedos, quando meninas tem que ajudar a arrumar a casa enquanto os meninos brincam, ou quando eles percebem a mamãe lavando a louça do jantar enquanto o papai vê televisão deitado no sofá.

No mundo corporativo o preconceito também existe e o ambiente empreendedor não foge à regra. Nós, mães empreendedoras, somos também vítimas do preconceito. Muitas vezes esse preconceito vem de nós mesmas, pois constantemente nos sentimos inferiores ou menos produtivas por sermos mães, ou por estarmos com as crias  por perto quase que 100% do tempo. E para completar o cenário, existe uma pressão enorme para que sejamos mais masculinas quando ocupamos cargos de liderança.

Mas pera lá! Somos fortes e bem-sucedidas! Ou você já conheceu alguém mais produtivo que uma mãe?  Basta planejamento e organização para que conseguirmos cumprir nossos objetivos e chegarmos ao sucesso. Algumas pesquisas já provam que mulheres bem sucedidas mudam o mundo ao seu entorno, e por isso mesmo tem acontecido programas de formação e linhas de financiamento específicas para mulheres.

Não devemos jamais, como empresárias que somos, reproduzir esses preconceitos em nossas empresas. Primeiro porque somos mulheres e juntas temos que lutar pelo nosso espaço no mundo. Segundo porque, como já disse, as mães são mulheres com superpoderes: são mais sensíveis, mais proativas, e estas características podem ajudar e muito a sua empresa!

Para você que é empreendedora, minha dica é: use e abuse de características naturais que você tem, simplesmente por ter nascido mulher. Lembre-se que você tem uma habilidade natural para ser líder, para ensinar, para interagir, para educar, se relacionar, trabalhar em equipe e tantas outras habilidades peculiares de cada uma de nós. Concentre-se em suas forças e faça a diferença no mundo e no seu empreendimento!

Mulheres que confiam em seu conhecimento e força conseguem resistir às pressões da sociedade sendo fortes e femininas ao mesmo tempo. A insegurança é uma barreira que as mulheres precisam superar para desenvolver melhor o seu trabalho, o que não quer dizer ser prepotente. Ter uma boa autoestima é também admitir seus erros e suas fraquezas.

Não devemos jamais menosprezar os homens, mas precisamos exigir respeito e apoio. Temos que lutar por igualdade de oportunidades, mas não precisamos, nem devemos ser iguais aos homens. Somos diferentes, possuímos habilidades e percepções diferentes . As mulheres podem sim tornar o ambiente de trabalho menos frio, mais familiar, mas isso não significa que você é menos profissional por causa disso.

Seja apaixonada pelo o que faz. Faça o seu melhor sempre e NUNCA, NUNCA MESMO se sinta inferior simplesmente por ser mulher!

Milena ─ Fotógrafa

Milena - Autor do MãezíssimaSócia proprietária da Areté Fotografias, mãe empreendedora, mãezona da Sofia. Em 2013 participou do programa 10000 mil mulheres da FGV, em São Paulo.

 

posts relacionados

Comments are closed.