Obesidade infantil – infográfico

Veja em imagens como a obesidade infantil tem se espalhado pelo mundo como uma epidemia.

Obesidade infantil – infográfico
Saúde
26 de agosto de 2016

Que obesidade infantil é um mega problema para os pais atualmente, não temos dúvida. Vivemos essa conta: vida corrida + praticidade dos industrializados = péssima alimentação para nossos filhos. Excesso de gordura, açúcares, sem falar dos conservantes, corantes, etc.  Por outro lado, precisamos deixar um pouco a culpa de lado e ir para a cozinha fazer o que é possível. Ou seja, usar o tempo que temos para fazer a melhor alimentação possível para nossos filhos e nesse ponto, alguns industrializados nos ajudam. É, não tem resposta fácil pessoal! Mas temos que assumir essa responsabilidade para o bem da saúde dos nossos filhos.

Esse material é muito bacana para mostrar o excesso de gordura que nossas crianças ingerem. Mas não vamos esquecer dos refrigerantes, bolachas e balas. Como já diz a frase definitiva sobre como fazer uma alimentação saudável para as crianças: descasque mais, desembale menos. 

obesidade infantil

De acordo com o estudo The Infantand Kids Study[2], realizado na região metropolitana de São Paulo, 33,5% das crianças da amostra ultrapassam a quantidade diária recomendada de gordura nas refeições. Ainda segundo o levantamento, conduzido em 2015, dentre as crianças que apresentam esse consumo elevado, ingere-se em média 25,5g adicionais de gorduras por dia, o equivalente a três colheres de sopa de óleo.

“O ajuste do consumo de gorduras é uma medida que pode trazer um grande impacto para a saúde das crianças. A recomendação da Organização Mundial da Saúde é que, do total de calorias da dieta, 30% deve provir das gorduras, sendo menos de 10% proveniente de gorduras saturadas, consideradas ruins, 05 a 15% vindas das gorduras insaturadas,” explica a nutricionista Mariana Del Bosco..

A hora de os pais agirem é na infância

Muitos pais pensam que as crianças emagrecerão naturalmente com o crescimento. Pesquisas, no entanto, mostram o contrário: crianças com sobrepeso têm chance quatro vezes maior de levarem a obesidade também para a adolescência[3], mostrando que não é possível esperar para que o problema se resolva sozinho.

É importante que os pais pensem a respeito do que seus filhos estão comendo, especialmente no que se refere à quantidade de gorduras diárias ingeridas pelos pequenos. A alimentação saudável é essencial porque é na infância que as referências alimentares são estabelecidas, em grande parte graças à ajuda dos pais.

Confira os dados no infográfico:

Clique nas imagens para ver ampliada

Referências:

[1] “Na faixa etária dos 5 aos 9 anos, o percentual de crianças com excesso de peso chega a 33,5%.”Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) – 2008-2009. Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. 2010.

[2] The Infant Kids andStudy (IKS) é um estudo realizado pela Nestlé na região metropolitana de São Paulo em dezembro de 2015

[3]“Overweight kindergartners had four times the risk of becoming obese by the age of 14 years as normal-weight kindergartners” (http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1309753#Top=&t=articleResults)

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *