Maternidade, um exercício de sobreviver as mudanças

A única certeza que temos como mães é que fortes emoções serão seguidas de fortes emoções.

Maternidade, um exercício de sobreviver as mudanças
Especial,  Ser mãe
15 de junho de 2016

Mudar. Esse verbo anda muito presente em minha vida e em todos os sentidos. Por conta de uma mudança de residência, há dias venho pensando sobre como sobrevivemos e nos adaptamos a tantas mudanças durante a vida e principalmente na maternidade.

Estou num bairro novo. Pela primeira vez em Curitiba, saio de uma região da cidade e me mudo para outra. E de repente é como se eu chegasse em uma nova cidade. Não sei onde fica o supermercado, onde está a padaria, onde posso correr levar a pequena para almoçar quando estou atrasada e ter a certeza de conhecer a comidinha que será servida. Não sei identificar onde é perigoso, muito menos onde estão os lugares coringas (bom, barato e bonito). É tudo novo de novo, como diz a música.

Exatamente nesse período tive uma prazerosa conversa com alguém que esteve muito presente nos primeiros dias da minha maternidade, na minha primeira aula de sling e banho de balde. Rimos juntas da minha cara de desespero por não fazer a menor ideia de como lidar com a Julia, como carregar minha filha e principalmente como acalmá-la em meu colo.

Ser mãe é sobreviver às mudanças.

maternidade - grace e julia

Imagem: Casa Secoo

Hoje eu tiro de letra por e colocar sling, dar banho de balde e até acalmar as piores crises que minha pequena tem. Mas fico apavorada com os novos desafios escolares, a demanda de educação de valores e princípios, o risco de deixar uma vida corrida se sobrepor a delicadeza de uma mulher em formação, minha filha.

E as mudanças não param aqui. Virá a fase escolar, a pré-adolescência, adolescência, os meninos (ai meu DEUS!), a formação da opinião, a escolha de profissão. Parece que a única certeza que temos como mães é que fortes emoções serão seguidas de fortes emoções.

Afirmo, sem constrangimento algum, que nossa segurança é estar atentas aos nossos filhos. Esse também é nosso maior desafio num mundo cheio de urgências e correria. Foi minha atenção a ela que me fez procurar apoio de outras mães, os slings, os banhos de baldes, que para aquela fase eram a solução.

No primeiro dia que precisei fazer uma compra de supermercado no novo bairro, acabei parando num estabelecimento fechado, perdendo muito tempo e correndo para meu supermercado de referência no bairro antigo. Exatamente como a gente faz quando se vê diante de uma situação nova e complicada na criação e educação dos nossos filhos. Quando a “coisa aperta”, nossa tendência natural é voltar para o lugar seguro, para nossas referências de criação, para os hábitos. Nessa horas acabamos cometendo erros que não gostaríamos, repetindo falhas de educação que pensávamos ter superado. Consolidar novos hábitos é a etapa seguinte às mudanças. Como encontrar o melhor lugar para os móveis na casa nova.

Por isso, meu desejo para mim e para vocês, mães, é que sobrevivamos com alegria, confiança e esperança, na certeza que nosso olhar atento e observador irá nos ajudar a passar por todas as mudanças da maternidade. Sem medo de mudar, jamais!

maternidade -grace e Julia

Vamos sobreviver, mães! Com alegria, coragem e amor. Imagem- Casa Secco

Imagens: Casa Secco

Grace  I. Barbosa ─ Mãezíssima

Grace e Julia perfilIdealizadora e fundadora da Mãezíssima. Mãe da Julia, jornalista, escritora e empreendedora. Aprendendo todo dia a ser uma mãe possível. Amante das boas histórias e de compartilhar conhecimentos que realmente fazem a diferença na vida dos leitores.

posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *